Seguidores

domingo, 4 de novembro de 2012

MORTO PELA INVEJA

A INVEJA: ARMA DOS INCAPAZES


Há uma história que pode muito
 bem ser verídica que conta um acontecimento
 verificado na Grécia, com um grupo de amigos e companheiros de um certo atleta.

Esse grupo decidiu batalhar no
sentido de erigir, numa das extremidades
de determinado parque, uma estátua
 em homenagem a esse atleta que tanto admiravam.

Encetou-se uma grande campanha,
até que fossem alcançados os
recursos necessários à realização do projeto.

Em pouco mais de um mês,
naquela área escolhida no parque,
ergueu-se a tão propalada estátua,
 homenageando aquele conterrâneo
que se sagrara campeão nos jogos públicos,
repetidas vezes consecutivas.

Era, sem dúvida, uma homenagem justa.
Entretanto, um outro atleta, que havia
 sido derrotado muitas vezes pelo
homenageado nesses mesmos jogos,
 tornando-se, por isso mesmo,
um contumaz rival do campeão,
mostrava-se irritado, revoltado e cheio
de inveja por não ser ele o alvo
daquela tão privilegiada situação.

Havendo lutado muito para que o vencedor
 não recebesse aquele tipo de homenagem,
sem contudo conseguir dissolver
o intento do grupo, prometeu a si
mesmo que destruiria o monumento,
 custasse o que custasse...

Arquitetou um plano mesquinho,
 bem próprio de uma pessoa que não sabe perder,
 e noite após noite, servindo-se da escuridão,
penetrava no interior do parque sem
 ser notado e, munido das ferramentas
 apropriadas para a execução do seu plano,
 entrava em ação.

Ia lentamente cortando a base
da estátua que tanto mal fazia ao seu
 ego descontrolado e doentio.
Foram várias semanas de atividade
 destruidora, porque carecia de muita discrição
 e cuidado no desempenho do plano,
para não ser descoberto antes
da sua consumação.

Finalmente, estava concluído
 o seu intento e a imponente estátua
 do seu competidor rival veio ao chão.

Aconteceu, porém, que ao ruir,
caiu exatamente sobre o corpo do destruidor.
E foi assim que o invejoso morreu,
vitimado pelo seu próprio ato de vingança!
 A obra mesquinha, realizada com
suas mãos, o levou à morte...

Ninguém conseguirá jamais ter
 uma vida autêntica, se paralelamente
 abrigar dentro de si pensamento
contraditório, alimentado pela inveja.

O rei Salomão, em sua sabedoria,
 afirmou:"O coração com saúde é a vida da carne,
 mas a inveja é a podridão dos ossos"

(Desconheço a autoria)

Um comentário:

Corpo-Alma disse...

OLÁ MARYLU PRAZER VIR AQUI CONHECER UM POCO DO SEU TRABALHO POETICO. SEU BLOG ESTA LINDO, PARABÉNS! SIGO VC