Seguidores

terça-feira, 6 de novembro de 2012

EMBARCAÇÃO NO MAR

BARCOS
Nas praias
Da minha infância
Morrem barcos
Desmantelados.

Fantasmas
De pescadores
Contrabandistas
Desaparecidos
Em qualquer vaga
Nem eu sei onde.

E eu sou a mesma
Tenho dez anos
Brinco na areia
Empunho os remos...
Canto e sorrio...
A embarcação
Para o mar!
É para o mar!...

E o pobre barco
O barco triste
Cansado e frio
Não se moveu...
Yolanda Morrazo

Um comentário:

Pedro Luis López Pérez disse...

Ese barco, testigo de nuestra Infancia que tiene innumerables cosas que contar.
Preciosa Poesía.
Un abrazo.